Horário: De terça a domingo. Das 10h00 às 18h00.

Rua do Mosteiro, 59

4700 - 565 Mire de Tibães, Braga

Pintura a óleo sobre tela existente no coro alto da igreja do Mosteiro de São Martinho de Tibães, em Braga, retratando nobres e oficiais do exército romano que vão a Subíaco oferecer os seus filhos a São Bento para serem educados na Escola do Serviço de Deus.

Hoje celebramos o dia de São Bento, evocando-se a transladação das suas relíquias para a Abadia francesa de Saint-Benoît-sur-Loire.

São Bento nasceu em Nursia, na Itália, no século V (ano de 480) e faleceu no século VI (ano de 547).

Escreveu a Regra Beneditina, a qual tem cinco ideias fundamentais: silêncio, obediência, pobreza, oração e trabalho.

Esta regra foi seguida um pouco por toda a Europa, chegando também a Portugal, dando origem à construção de um grande número de mosteiros e ao surgimento de festas e romarias em honra de São Bento, especialmente na região norte do país.

Ainda hoje, para além de São Bento da Porta Aberta, no Gerês, há, entre outros locais, a peregrinação ao São Bento:

  • da Porta Aberta, em Cossourado, Paredes de Coura;
  • de Seixas, em Caminha;
  • do Cando, na freguesia de Gavieira, Arcos de Valdevez;
  • das Pêras, em Vizela;
  • da Várzea, em Barcelos;
  • de Águas Santas, na Póvoa de Lanhoso.

O Papa Paulo VI declarou São Bento Padroeiro da Europa.

O Mosteiro de São Martinho de Tibães, fundado no século XI, seguiu a regra deste glorioso santo, tornando-se a Casa-mãe da Congregação Beneditina de Portugal e do Brasil, entre 1567 e 1834.

O Abade Geral, eleito trienalmente na sala do capítulo do Mosteiro de Tibães, era responsável por 22 mosteiros em Portugal e 13 no Brasil.

A vida deste santo está bem representada nos mais diversos suportes e formas artísticas presentes pelos diversos espaços do Mosteiro de Tibães.