Horário: De terça a domingo. Das 10h00 às 18h00.

Rua do Mosteiro, 59

4700 - 565 Mire de Tibães, Braga

O Cruzeiro e o Terreiro

O Cruzeiro e o Terreiro

O Cruzeiro e o Terreiro

Em 1654, chegava-se ao terreiro do mosteiro pelo caminho que vinha do rio e subia a encosta do monte de São Gens, por entre devesas de carvalhos e sobreiros, depois de passar por uma formosa porta de arco e no cimo dela o bem-aventurado São Bento. No final do século XVII este terreiro é modificado para receber a nova escadaria e átrio da igreja. Ficou então mais amplo, com um cruzeiro, uma fonte de pedra de esquadria lavrada e por cada uma das ilhargas sua carreira de castanheiros e outras árvores.

Nas décadas seguintes são construídos: os portais da quinta da Eira e da Ouriçosa; a via-sacra; a fonte e tanque da portaria dos carros, e os muros que, nos finais do século XVIII, viriam a delimitar o atual terreiro.

Esta configuração só viria a ser mudada em 1931 quando é cortada uma nova estrada para o mosteiro (atual Rua do Mosteiro) e, em 1936, com a construção do cemitério.

O cruzeiro atual, erigido entre 1804-1807, apresenta fuste canelado e capitel coríntio encimado com esfera e cruz e, no pedestal, as armas da Congregação. Está classificado como Monumento Nacional desde 16 de junho de 1910.

Entre 2011 e 2012 todo o terreiro foi recuperado e reordenado, seguindo os princípios de recuperação e qualificação de paisagens históricas, que perspetivam modelos de intervenção discretos e de fácil manutenção. A intervenção procurou aproximar o edifício da zona envolvente, tornando o terreiro um espaço de acolhimento de festas, estacionamento e paragem de transportes públicos, circulação e distribuição de fluxos para as propriedades adjacentes e um local aprazível para a receção de todos os utilizadores do conjunto monástico.