Horário: De terça a domingo. Das 10h00 às 18h00.

Rua do Mosteiro, 59

4700 - 565 Mire de Tibães, Braga

Quem Somos

Quem Somos

Quem Somos

O Mosteiro de São Martinho de Tibães situa-se no norte de Portugal, na região do Minho, na freguesia de Mire de Tibães, aproximadamente a 6 Km do centro da cidade de Braga.

Fundado no século XI, obedecendo à regra beneditina, tornou-se Casa-mãe da Congregação de S. Bento dos Reinos de Portugal a partir de 1567, estatuto que manteve até à sua extinção, em 1834.

Atingiu o seu máximo esplendor nos séculos XVII e XVIII emergindo como um importante centro difusor de Educação, da Arte e da Cultura Portuguesas.

Após o encerramento do mosteiro, a atividade religiosa manteve-se até aos nossos dias, ficando a igreja, a sacristia e o claustro do cemitério em uso paroquial. As restantes áreas do edifício e a cerca conventual foram vendidas a privados.

Em 1944 foi classificado como Imóvel de Interesse Público, tendo o Estado Português adquirido a cerca e a parte privada do edifício em 1986.

Vazio e em avançado estado de degradação, o mosteiro foi renascendo lentamente. As portas abriram-se ao público e a um vasto conjunto de iniciativas educativas e culturais.

Ao mesmo tempo que se deu início ao estudo de todo o conjunto monástico foram-se recuperando memórias e criando as bases técnicas e científicas necessárias para dar início aos trabalhos de restauro, recuperação e reabilitação de todo o monumento.

O Mosteiro de São Martinho de Tibães é um organismo público dependente da Direção Regional de Cultura do Norte, cuja área de atuação se enquadra nos setores cultural, educativo e social.

Desenvolve a sua ação centrando-se na salvaguarda, investigação, estudo, inventariação, conservação, restauro, interpretação, valorização, comunicação e exposição de todo o património que tem a seu cargo, integrado num conjunto monástico formado pelo cruzeiro, igreja, alas conventuais, pela cerca e por todos os elementos arquitetónicos e vivos que a compõem.

A utilização dos seus espaços é atualmente partilhada por três instituições:

  • Direção Regional de Cultura do Norte, responsável pela gestão do monumento, proteção, salvaguarda, recuperação, restauro, reabilitação, acolhimento do público, promoção do estudo e da investigação, com vista à dinamização cultural e educativa de todo o conjunto monástico;
  • Paróquia de Mire de Tibães, responsável pela vertente cultual e por todas as atividades relacionadas com a vida paroquial;
  • Diocese de Braga, que através de uma comunidade religiosa instalada na zona reabilitada do antigo noviciado e coristado, assegura a função de acolhimento e de gestão de uma hospedaria e de um restaurante.